Notícias

Animais: amizade e carinho

  • editor editor
  • data
  • 0
  • 0

Uma amizade que começou a milhares de anos ainda no antigo Egito. Os gatos eram vistos na época como animais presentes neste e no “outro mundo”. Metade aqui, metade no além. Eram muito queridos entre os egípcios que os viam como aliados, serem celestiais, além de combaterem as pragas. Uma relação milenar entre homens e animais que persiste na atualidade com muita amizade e carinho.

Na Índia os animais são muito respeitados, uma tradição milenar também. As cidades cuja religião oficial é o Hindu são oficialmente vegetarianas. Animais como cobras, as famosas Najas, e as vacas são um exemplo de animais sagrados no Hinduísmo.

Os animais também serviam como tração ou meio de transporte para inúmeros povos. Os camelos eram fundamentais, e ainda são, para povos nômades do deserto, uma cultura milenar. O que falar então dos cavalos que talvez, junto com os cães, podem ser considerados os melhores amigos do homem.

A ascensão dos bichinhos

Mas nem tudo foram flores, na idade média possuir bichinhos de estimação como cães, gatos, pássaros e outros animais era considerado bruxaria. Os animais eram vistos como meios de invocações ou de reencarnações de espíritos. As pessoas que as portavam eram julgadas e condenadas por bruxaria, a forca geralmente era o destino delas.

Muitos atribuem a Peste Negra como uma das consequências da dizimação de gatos pela Europa Medieval, predadores naturais dos ratos que transmitiam a doença. Quando a sociedade foi percebendo que de mau eles não tinham nada, os animais foram aos poucos sendo introduzidos à nossa realidade e sendo domesticados.

Cães se tornavam fortes aliados do homem para caçadas e para organizar os rebanhos, além de proteger a propriedade do dono contra invasores. Gatos também foram domesticados por trazer benefícios ao homem, como o combate as pragas como ratos e insetos. Os cavalos, como já citamos, eram usados como meio de tração e de transporte. Com o passar dos anos a aproximação dos seres humanos com alguns animais só aumentou.

Números de animais no Brasil

puppy french bulldog and maine coon cat in front of white background

O Instituto Pet Brasil divulga dados atualizados sobre a população de animais de estimação em todo o território nacional constantemente. De acordo com números levantados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estática (IBGE) e atualizados pela inteligência comercial do Instituto Pet Brasil, em 2018 foram contabilizados no país mais de 54 milhões de cães e quase 40 milhões de aves, quase 30 milhões de gatos, mais de 19 milhões de peixes e quase 3 milhões de répteis e pequenos mamíferos.

A estimativa total chega a quase 140 milhões de animais de estimação. O destaque vai para o crescimento de casas que escolhem o gato como animal de estimação. No acumulado, esse foi o animal que mais cresceu, com alta de 8,1% desde 2013. Em seguida, os pets que acumularam maior crescimento nos lares brasileiros foram os peixes com 6,1%. Répteis e pequenos mamíferos registraram alta de 5,7%, aves de 5% e os cães um crescimento de 3,8% em sua população.

Companheiros de lares

Esses novos números confirmam a tendência que identificada pelo Instituto: cada vez mais pessoas e famílias buscam um animal de estimação para companhia, dar e receber afeto e atenção.

No entanto, com o maior número de pessoas morando sozinhas e em espaços menores, é compreensível o crescimento da população de animais cujo cuidado no dia a dia seja mais simples, ou que pelo menos exijam menos espaço. Por isso esse crescimento expressivo dos felinos, principalmente em cidades maiores, onde as casas têm menos metros quadrados.

E é a companhia deles que tem sido um fator fundamental no crescimento da presença dos pets nos lares brasileiros. É comprovado por estudos científicos, das mais diversas universidades mundo afora, que animais de estimação “alegram” o ambiente, principalmente se a casa tiver crianças. Vamos conferir alguns benefícios que os bichinhos nos trazem.

Animais “acalmam” os nervos

Quando estamos na presença de um pet, o que geralmente fazemos? Dar aquele “amaço”, não é mesmo? Os pets adoram receber abraços e carinhos, como qualquer ser vivo, e nós ao fazer carinhos em nossos bichinhos de estimação diminuímos os níveis de cortisol (ligados ao estresse) e aumentamos a produção de serotonina e dopamina (neutralizadores do estresse). Além disso esses momentos são fundamentais para a relação do humano e do animal, ele passa a confiar mais em você aumentando o sentimento “familiar”. Lembre-se que dar atenção para seu pet irá te beneficiar também, aproveite ao máximo esses momentos.

Mais resistente a alergias  

A exposição a cães e gatos, animais peludinhos, fortalece o sistema imunológico e aumenta a sensação de relaxamento, elevando os níveis de imunoglobulina A, que é um anticorpo presente nas mucosas que evita a proliferação de vírus ou bactérias, e é grande aliada na prevenção de alergias.

É muito importante manter a saúde do bichinho em dia, para manter a sua saúde estável. É importante levar regularmente seu animalzinho ao veterinário para exames de rotinas, e tomar remédios para vermes por exemplo, dar banhos e tosas.

Alívio na depressão

Uma das doenças que mais afeta pessoas em todo o mundo é a depressão. Cruel, ela ataca com força pessoas que geralmente passam por problemas familiares, de relacionamentos, no trabalho ou são solitárias. E é aí que os bichinhos de estimação entram em cena. Sempre alegres, dispostos a brincas, passear ou simplesmente te fazer companhia, eles elevam nossa autoestima, fazendo com que seu dono tenha propósitos, se importe com algo ou alguém e fique mais confiante quanto suas tarefas, coisas difíceis para quem sobre com a depressão.