Saúde

Jovens devem proteger familiares neste Natal

  • EditorChefe
  • data
  • 0
  • 0

A primeira-ministra alemã, Angela Merkel, foi enfática: “Precisamos barrar a velocidade de contaminação do Coronavírus e isso incluí as festas de fim de ano, caso contrário para muitos avós este poderá ser o último Natal deles com a família”, afirmou ela no parlamento alemão ao anunciar mais restrições na Alemanha. O recado foi direcionado, principalmente, para os jovens e adultos.

A preocupação não se restringe a Alemanha, mas a outros países europeus e também aqui no Brasil, em nossa realidade. Com a taxa de transmissão em alta no país, entidades e estudiosos alertam para a necessidade de se evitar aglomerações em família neste fim de ano e nos períodos de férias.

Os jovens, que são comprovadamente mais resistentes, podem passar o vírus para seus familiares com idade mais avançada ou com comorbidades, e uma contaminação pelo Covid-19 costuma ser imprevisível. Desde os assintomáticos (sem sintomas, mas contaminados), os que têm sintomas apenas de um resfriado, e os que têm lesões múltiplas no pulmão, culminando na morte do paciente.

Diferente dos jovens, os idosos são os mais atingidos!


A covid-19 demonstrou ser muito mais grave em idosos, chegando a uma taxa de mortalidade de 15% em pessoas com mais de 80 anos. Por esse motivo, alguns especialistas recomendam que crianças e adolescentes evitem contato com parentes mais velhos neste Natal.

Para se ter uma ideia da diferença de gravidade da Covid-19, a letalidade em adultos fica entre 2% e 3%, segundo a OMS (Organização Mundial da Saúde). Mas um estudo do Centro de Controle de Doenças chinês disse que a taxa para pacientes na faixa de 60 a 69 anos é de 3,6%. Para os pacientes de 70 a 79 anos, é de 8%, aumentando para os 15% para os com mais de 80 anos, como citado anteriormente.

Os idosos são mais vulneráveis ao vírus porque, a partir dos 60 anos, o sistema imunológico sofre uma deterioração por causa do próprio envelhecimento. Além de o organismo perder a capacidade de responder da melhor forma possível a uma infecção, indivíduos dessa faixa etária costumam ter mais doenças também, doenças pré existentes, o que agrava de modo geral o estado do paciente.

Idosos e o contato com familiares mais novos


Neste Natal, entre tantos que já passamos juntos, reforçamos mais uma vez a necessidade de distanciamento. Como já reforçamos, pessoas com comorbidades pré existentes, e isso engloba crianças, jovens, adultos e idosos, têm mais chances de perder a batalha para uma possível infecção pelo Covid-19.

Os virologistas dizem que pessoas com diabetes, problemas respiratórios ou cardiovasculares sofrem mais com a Covid-19. Mas quanto mais velhas, maiores as chances de essas doenças aparecem, e junto com o sistema imunológico deficiente, o vírus se torna fatal, na maioria dos casos.

Evitar o contato não significa que os jovens não possam se comunicar!


Quando mencionamos no título que devemos evitar o contato com os idosos, isso quer dizer presencialmente, fisicamente. Nada impede que neste Natal nós possamos fazer ligações para eles, homenagens com vídeos pelas redes sociais e tantas outras formas de demonstrar nosso amor e carinho para nossos pais, avós ou pessoas em isolamento por causa de uma contaminação ou por ter comorbidades.

Recomendações para se proteger continuam as mesmas


Países já começaram a primeira etapa das vacinações, como Rússia, Inglaterra e Estados Unidos. Por aqui a vacina deve chegar ano que vem. Até lá seguem as mesmas orientações para todos se protegerem.

O Ministério da Saúde indica lavar as mãos frequentemente com água e sabão por pelo menos 20 segundos. Além disso, evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas e cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar com um lenço de papel e jogar no lixo. Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocadas com frequência também estão entre as recomendações. Utilizar sempre que possível álcool gel 70%, quando não for possível lavar as mãos com água e sabão.

Vale a pena lembrar que para garantir um bom sistema imunológico, é essencial se alimentar bem e praticar exercícios físicos regularmente. Tomando todos esses cuidados podemos, talvez, passarmos ilesos por essa pandemia, e garantir que nossos familiares possam comemorar no futuro outros natais e festas de fim de ano conosco. Afinal, como diz o ditado: “É melhor prevenir, do que remediar!”.