Tecnologia

Geração X, Y ou Z: qual a minha?

  • EditorChefe
  • data
  • 0
  • 0

O mundo como conhecemos hoje pode ser considerado como “recente”. Se puxarmos na história, desde as antigas civilizações (gregos, egípcios, romanos), vamos perceber que evoluímos em vários aspectos, obviamente o tecnológico foi o mais notório. Você ter nascido na geração Y ou Z, convenhamos, é algo fantástico! Nem a geração X teve tanto em tão pouco tempo.

Do mesmo modo, nem tudo são flores. O planeta está cada vez mais poluído, velhos conflitos políticos voltam à tona entre alguns países e incertezas cercam o futuro dessas gerações que, ao mesmo tempo que prezam pelo meio ambiente, grande maioria nada faz para impedir um futuro colapso ecológico. 

A civilização humana ficou um bom tempo estagnada na chamada Idade Média. Alguns anos depois vieram as grandes descobertas e as colonizações. O globo ficava mais povoado e, agora, mapeado por completo. Vieram as grandes guerras e com elas muito investimento em tecnologia bélica.

Mais avanços nas décadas que viriam até que BOOM!!! Chegamos nos anos 2000 e vivenciamos uma verdadeira revolução no modo de viver, consumir, de se comunicar, de expandir e mirar rumo ao infinito e além no universo. Louco não é mesmo? Como essas últimas duas décadas foram agitadas e cheias de novidades? É de se pensar, no mínimo.

Como se formam as gerações?


Comparar gerações é muito difícil se pensarmos que antigamente as gerações eram formadas a cada 25 anos, entretanto nos dias de hoje, um quarto de século é praticamente um século.

Quais as diferenças entre as gerações X, Y e Z? O que esperar para o futuro? Como as gerações vão continuar coexistindo e como vão reagir às novas gerações que surgirão? Quais serão as características que essas gerações irão trazer e quais os conflitos que irão vir com elas?

O avanço tecnológico destas três gerações certamente não será o mesmo das próximas que estão por vir. Com a tecnologia vivendo momentos de crescimento exponencial, não podemos prever o que virá. Cientistas afirmam que em 2045 será o ano em que as máquinas terão capacidades próprias, o que especialistas chamam de “singularidade das máquinas”, nessa fase as máquinas poderão fazer as coisas sozinhas, muito melhor e mais rapidamente que qualquer outro ser humano.

A geração X


O termo Geração X foi criado por Robert Capa, em 1950, e é utilizado para rotular as pessoas nascidas após o chamado Baby Boom (entre as décadas de 1920 e 1940), que foi um aumento importante na taxa de natalidade dos Estados Unidos da América após a Segunda Guerra Mundial.

Essa geração inclui aqueles que nasceram no início de 1960 até o final dos anos 1970. Por vezes são incluídos também os nascidos até 1982. Para muitos leitores, essa é a geração dos seus pais e seus avós. Outros leitores fazem parte da própria geração X, que abrange um parcela significativa da população. Lembrando que o Baby Boom não foi algo restrito aos EUA, mas rolou por aqui também, em terras brasileiras, e outros países.

A Geração Y, os millennials


Compreendendo aqueles que nasceram em fins dos anos 1970 e início dos anos 1990, a geração Y, representa cerca de 30% da população global, segundo estudos recentes, algo bem expressivo.

Foi a geração que desenvolveu-se em uma época de grandes avanços tecnológicos e prosperidade econômica. As crianças da geração Y cresceram tendo o que muitos de seus pais não tiveram como TV a cabo, videogames, computadores, vários tipos de jogos, e muito mais. Se a geração X viu nascer a internet e a tecnologia, a geração Y já nasceu quando as mesmas estavam plenamente desenvolvidas, cresceram e internalizaram as mesmas desde pequenos.

Se você é da geração Y, cresceu em um mundo em processo de transformação digital e está, desde sempre, familiarizado com dispositivos móveis e comunicação em tempo real, como tal, pertence a um grupo de consumidores exigentes, informados e com peso na tomada de decisões de compra. Você faz parte da primeira geração verdadeiramente globalizada, que cresceu com a tecnologia e a usa desde a primeira infância.

Geração Y viu a internet se polarizar


A Internet é, para a geração Y, uma necessidade essencial, afinal, responde aí: quanto tempo consegue ficar sem ela sem sofrer com a abstinência?

A tecnologia e os dispositivos móveis permitiram a comunicação entre si como nenhuma outra geração o tinha feito anteriormente, permitindo partilhar experiências, trocar impressões, comparar, aconselhar e criar e divulgar conteúdos, que são o fundamento das redes sociais. Preocupados com o meio ambiente e as causas sociais, os “Y” têm um ponto de vista diferente das gerações anteriores, que viveram épocas de guerras, escassez e desemprego.

Jovens da geração Y têm como hábito ser tão multitarefa quanto seu smartphone, podendo, ao mesmo tempo trabalhar em mais de 1 projeto, responder e-mails, acompanhar as notícias através de algum site, conversar com os colegas de trabalho, conversar com os amigos on-line, ouvir música e dar atenção às redes sociais.

A geração Z, a da era digital


Essa geração, que compreende os nascidos entre o fim de 1990 a 2010, está ligada intimamente à expansão exponencial da internet e dos aparelhos tecnológicos. As pessoas da Geração Z são conhecidas por serem “nativas digitais”. Sempre, conectadas!

Se pensarmos um pouco, vamos perceber que integrantes desta geração nunca viram o mundo sem computador. Os maiores problemas dessa geração são relacionados à interação social.

Por estarem tão conectados virtualmente, muitos deles sofrem com a falta de intimidade com a comunicação verbal, o que acaba por causar diversos problemas com as outras gerações. Segundo alguns analistas, essa geração também é marcada pela ausência da capacidade de ser ouvinte.

Os “Z” e o mercado de trabalho


A Geração Z é um tanto quanto desconfiada quando o assunto é carreira de sucesso e estudos formais, a maioria já não acredita mais em fazer uma só coisa para o resto da vida ou passar sua vida profissional inteira em uma só empresa. Muitos da geração Z, inclusive, trabalham de casa, é o chamado Home Office, seja em um emprego formal em uma empresa liberal ou informalmente.

Enfim, essa geração tem um grande problema, segundo as demais: é a geração mais fechada de todas, onde cada um está sempre fechado em seu mundo e isolado através de fones de ouvido (seja em ônibus, universidades, em casa, no ambiente de trabalho). São os que escutam pouco e falam menos ainda (não se aplica a todos, obviamente).

Gerações podem ajudar a complementar uma a outra


De modo geral, aprenda com os demais: cada geração possui lições valiosas para ensinar umas às outras. Os X têm a sabedoria, o conhecimento e os “truques” de que os jovens precisam. A geração Y é conhecida por sua lealdade e habilidade de mediação. Já a geração Z está mais antenada ao ambiente de trabalho do futuro, ao marketing e às tendências de mercado. Bacana, como cada um pode ajudar o outro não é mesmo?